22.1.08

Referência e inspiração

Acabo de dar uma olhada no site citado no post anterior. O blog que relata a estadia em Tóquio me fez perceber como as impressões registradas nas viagens são interessantes - e fugazes. O talento do autor me fez perceber que eu também poderia ter relatado muito mais do que relatei na minha última viagem. E olha que não foi pouca coisa que escrevi. Quantas impressões sobre pessoas, sobre lugares, sobre clima, sobre cultura ainda ficaram sem registro.

O ato de escrever é uma coisa imprevisível. A gente pensa sobre um assunto, mas no meio do caminho outra coisa se emenda. O que a gente escreve quase nunca sai como a gente pensou. Mas esse não é o maior problema, isso quase sempre é enriquecedor.

Eu ainda tenho uma outra pequena-grande dificuldade: disciplina. Energia ordeira para organizar pensamentos, refazer textos, reler e reescrever coisas antigas, digitar coisas manuscritas. Acho isso tudo muito difícil. Se vou para o computador, sou capaz de passar horas navegando na internet, mas sou incapaz de organizar minhas palavras. Não consigo terminar textos dramáticos longos. Não consigo digitar o que já foi rabiscado. Não consigo nem reler as várias páginas que já estão impressas. O papel foi gasto à toa para que eu tentasse ler no conforto da poltrona, do sofá ou da cama aquilo que fora digitado. Nem assim. Algumas pessoas me dizem que sou muito crítico e que isso me bloqueia. Pode até ser, mas não acho que seja só isso. Penso que eu precisaria de um objetivo. Talvez de um prazo marcado. Talvez de um dead-line para o texto.

Por isso o blog é genial. São pequenos tijolos registrados, pedradas leves que acabam de sair do forno e são imediatamente lançadas no ar. Como agora, nesse breve desabafo.

1 comment:

floresdeplastico said...

Realmente, o blog é uma forma de escoar pensamentos não tão organizados. Eu gosto disso também.
Beijo.